segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Reaproveitando, transformando e refashionizando

Se a gente for começar a falar de consumo consciente eu posso dizer que não sou nada consciente nesse sentido. Você consome de acordo com o que entende por suas necessidades e desejos e compra de acordo com o seu orçamento - ou não. E não se controlar e não consumir responsavelmente pode te trazer consequências não muito agradáveis. Sou tão consumista que uma vez minha fatura do cartão de crédito chegou maior do que eu ganhava no mês e a consequência foi ter que empurrar uns dias e pagar juros no final. Isso é vergonhoso e nada saudável. Cadê meu controle? Nunca tive tanto dinheiro para gastar porque fazer isso agora com quase 30 anos na cara? 

Meu armário é esse aqui embaixo. É pequenininho mesmo e acabo me dando como desculpa o tamanho dele e a quantidade de peças que tenho. Eu gosto de moda, gosto de me vestir e adoro coisas diferentes, o que me faz desejar tudo, e ganhando meu próprio dinheiro gastar passou a ser uma obsessão. Às vezes não preciso de tal peça mas ela é bonita e eu acabo comprando - e muitas vezes acabo não usando. 



Todo mês eu fecho bem perto do vermelho (todo mês, gente!), e olha que ainda não moro sozinha ou seja não tenho tantas despesas assim. Não ganho muito também mas consigo gastar tudo o que tenho, e muito rápido. Isso não é saudável, não é bom e não está certo! Não posso planejar meu futuro, fazer planos e pensar na minha casinha se continuar consumindo desse jeito. Ninguém pode, né? 


Pensando em todos os meus gastos descontrolados e nos arrependimentos após gastar tanto dinheiro em uma loja - porque ultimamente eu tenho me arrependido mesmo - decidi mudar! Há tempos venho querendo fazer isso e ver meu salário de dezembro mais o meu 13° serem engolidos pela terra foi o empurrão que eu precisava. Consumir consciente não quer dizer não consumir at all mas sim fazer escolhas mais sábias, repensar no jeito que você gasta e valorizar marcas responsáveis que se importem com o bem-estar da sociedade e do meio-ambiente, marcas que façam a diferença para seus clientes e às pessoas ao seu redor, marcas que valorizem o mercado local e seus pequenos fornecedores.

Nós jogamos fora e descartamos roupas, acessórios e sapatos todo ano, e mais de uma vez. Quem nunca comprou um vestidinho e jogou no armário com a etiqueta e nunca usou? Então esse ano vai ser diferente. Ao invés de gastar R$ 600 reais de uma vez na Forever 21 e apoiar o consumo agressivo, vou gastar R$ 100 por mês, ou menos, em brechós do Rio de JaneiroQuero reaproveitar, transformar e refashionizar coisas que pessoas descartaram por acharem que não as servem mais e fazer da minha moda algo um pouco mais sustentável, além de fazer sobrar dinheiro para planos futuro também né! Vou fazer isso por um ano e tudo vai ser documentado. Se o brechó for legal, vem pra cá. Se a peça precisar de uma transformação, vem pra cá. E assim vou montar meu armário novo e fashion. (Claro que isso não vale para lingeries né xenty, vamos consumir conscientes mas vamos ser sensatas!)

Confesso que depois de tomar essa decisão tenho um pouco de medo do meu lado consumista mas isso pode se transformar em um aprendizado e tanto. Acredito que me desapegar desses gastos desenfreados vai ser uma das melhores coisas que farei em 2016, haha. E quem sabe eu não ajudo a despertar toda essa coisa auto sustentável em vocês também. Ah, e se vocês conhecem brechós legais pela cidade deixem aqui para eu poder visitar. :)

7 comentários:

  1. Eu tô nessa situação vermelha.
    E fico querendo repaginar o guarda-roupa, tô pra fazer esse seu projeto que não é tão radical quanto aqueles que a pessoa fica um ano sem comprar nada!

    ResponderExcluir
  2. Eu tento ao máximo Consumir consciente, mas nem sempre consigo.
    Ainda mais se for alguma loja que eu amo tipo a Animale.
    Kisses

    ResponderExcluir
  3. Eu to fazendo uma transformação no meu guarda roupa e pra isso to gastando um pouco (talvez muito), mas estou doando as roupas que não estou mais usando e continuo nessa luta. Meu objetivo é consumir apenas o que eu sei que vou usar. Você é do Rio <3 pode me ajudar nessa de brechós, porque aqui onde eu moro (Jacarepaguá) não sei de nenhum bom, sou louca pra ir em um brechó, tanto pra vender quanto pra comprar. Se souber de algum bom por aqui perto, me indica?

    Sobre seu comentário lá no blog (http://www.likeparadise.com.br/2015/12/look-girassois.html): Na dúvida eu escolho sempre um número/tamanho maior, qualquer coisa é só ajustar, já se eu pedisse o mesmo tamanho que eu visto aqui e não coubesse, não teria como ajustar.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu faço isso várias vezes ao ano e sempre é bom aprendo a me virar com oque tenho, sempre vejo que tem algo apara doar. Os brechós na minha cidade sumiram, sinto falta!


    www.cantinhob.com

    ResponderExcluir
  5. Eu cá não me possa perder +pelas compras....mas não é fácil controlar.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  6. Eu super entendo! Antes comprava muito em lojas de marca como a Colcci e a Farm e no final, acabava que gastava muito e não tinha muitas peças. Comecei a frequentar lojas como Renner, Riachuelo e C&A e percebi que a qualidade das peças era sim boa e tinha muita coisa linda e muita coisa que era tendência. Acabou que eu resolvi trocar as lojas onde eu comprava e no final das contas, acabava gastando menos e tendo mais peças. Ainda assim, pretendo resumir um pouco mais o meu consumo e pensar em mais combinações com as peças que eu tenho. Como eu tenho muita roupa, acabo as vezes não usando tal coisa por muitas vezes, meio que esquecendo no fundo da gaveta, sabe? Mas pretendo mudar com isso!

    ResponderExcluir
  7. muito legal sua atitude, é mt importante temos essa consciência de consumo!
    confesso que sou meio mão de vaca hahaha tipo, acho lindo e desejo muitas coisas que eu vejo mas na hora de comprar eu penso umas 10x antes se aquilo é necessário mesmo na minha vida ou é puro luxo

    www.blogamorarosa.com

    ResponderExcluir